• Comunicação Glaycon Franco

Glaycon Franco trabalha em favor da população de Mariana e região

Como membro da Comissão Extraordinária das Barragens, criada no dia 13 de novembro na Assembleia Legislativa, o deputado Glaycon Franco apresentou vários requerimentos provocando órgãos públicos tanto da esfera estadual como da esfera federal a se posicionarem acerca de questões relevantes para a elucidação do acidente ocorrido em Mariana e acerca das condições em que se encontram as demais barragens no estado de Minas Gerais.

Requerimentos dirigidos ao Instituto de Gestão de Águas de Minas Gerais – IGAM, à Coordenadoria da Defesa Civil de Minas Gerais e à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, solicitam informações sobre os procedimentos de licenciamento e sobre as condições das barragens da Samarco em Bento Rodrigues, subdistrito de Mariana. Outros requerimentos dirigidos ao Ministério das Minas e Energia e ao Ministério do Meio Ambiente solicitam informações sobre evolução das técnicas e metodologias de deposição de rejeitos e também sobre estudos sobre aprimoramento da legislação ambiental.

Em reunião especial da Comissão de Assuntos Municipais ocorrida na manhã da quarta-feira 18/11, Glaycon teceu duras críticas às empresas que não estão cumprindo suas obrigações sobretudo com a garantia de segurança para a população vizinha das barragens. O deputado cobrou o cumprimento da legislação federal que dispõe sobre planejamento em caso de ocorrência de acidentes, e solicitou informações ao Ministério Público, à Prefeitura de Congonhas e à CSN – Companhia Siderúrgica Nacional sobre os Planos de Ação de Emergência previstos na Lei 12.334 de 2010.

Deixando claro que é inadmissível que as empresas se preocupem apenas com altos lucros, Glaycon posicionou-se a favor da população: “o primeiro bem é a vida. Nada justifica colocá-la em risco. Se há dúvida sobre a segurança das barragens, precisamos discutir o assunto e deixar claro se o risco existe ou não. Se não existir, tudo bem, está tudo certo. Precisamos das empresas, dos empregos. Mas se tiver algo errado, precisamos descobrir e tomar providências a tempo. Depois pode ser tarde demais, como temos visto”, afirmou Glaycon.

Durante a reunião, foram ouvidos vários populares de Congonhas e outras audiências serão realizadas na Comissão Extraordinária das Barragens a pedido de Glaycon, inclusive uma com os municípios para levantar os danos que o acidente ocasionará à arrecadação dos municípios, à geração de empregos e à infraestrutura local.

0 visualização0 comentário