• Comunicação Glaycon Franco

Deputado Glaycon Franco preside reunião em defesa da saúde da Macrorregião Centro-Sul de Minas Gerai

O deputado Glaycon Franco presidiu, no dia 4/11, Reunião Ordinária da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas Gerais que debateu temas relacionados às políticas de saúde na Macrorregião Centro-Sul do estado. A reunião contou com expressiva participação de várias autoridades de entidades públicas e privadas de atenção à saúde na região.

Para esclarecimento geral, Glaycon ressaltou que a macrorregião Centro-Sul corresponde, na nova divisão estabelecida pelo Governo de Minas, ao Território de Desenvolvimento das Vertentes e que a região tem uma população em torno de 800 mil habitantes, sendo a quinta mais populosa do Estado. A macrorregião é composta de três microrregiões, com sede nas cidades de Conselheiro Lafaiete, Barbacena e São João del-Rei.

Durante a reunião, foram apontadas várias dificuldades enfrentadas pelas cidades-sede das microrregiões, que absorvem a maioria da demanda apresentada pelas demais cidades que compõem macrorregião. Entre os temas discutidos, chamaram a atenção a deficiência de uma rede de urgência e emergência, dificuldade de fixar profissionais, pequeno número de leitos hospitalares e de UTI e entraves para fazer procedimentos de média e alta complexidade, principalmente em ortopedia, oncologia e obstetrícia. “A macrorregião não tem conseguido atender às nossas demandas de saúde. O índice de resolubilidade é baixo, cerca de 55%”, constatou. Precisamos reverter essa situação, equipando nossa macro para darmos atenção tanto na baixa quanta na média e alta complexidades”, afirmou Glaycon.

Os representantes da Gerência Regional de São João del-Rei e da Superintendência de Barbacena José Raimundo e Robson, respectivamente, foram unânimes ao ressaltar o problema de financiamento do SUS. Segundo José Raimundo, além da dificuldade de obter recursos, as liminares judiciais prejudicam o planejamento dos poucos recursos conseguidos. “A judicialização da saúde traz grandes dificuldades, pois as decisões judiciais criam outra porta de entrada no SUS”, concluiu.

Robson Vidigal apontou como outra grande dificuldade enfrentada a normatização imposta pelo Ministério da Saúde, que engessa o sistema: “É preciso flexibilizar as portarias, para adequar o conteúdo delas à realidade de cada região”, defendeu. Robson ainda deixou claro que o diagnóstico tardio, como no caso do câncer, tem elevado o número de mortes de pacientes. Ainda afirmou que “muitos pacientes falecem porque os hospitais da região têm estrutura física, mas não têm os equipamentos adequados”.

Vários secretários de saúde de pequenos municípios se manifestaram na reunião, como Lília Carla Pereira, de Nazareno, que resumiu os problemas de quase todas, deixando claro que as maiores dificuldades em sua cidade são na área de ortopedia e para encaminhamento de gestantes, principalmente as de alto risco.

Juliana Barreto, de Lagoa Dourada, esclareceu que, no caso de seu município, pacientes são obrigadas a viajar quatro horas para receber tratamento de radioterapia em Juiz de Fora, pois o hospital de Barbacena só conta com quimioterapia. Já Geraldo Tadeu de Oliveira, de São Tiago, afirmou que a grande dificuldade é de acesso aos hospitais, principalmente às UTIs: “Ficamos com pacientes em pequenos hospitais esperando esse atendimento por dias”, lamentou.

Após ampla análise da longa e proveitosa reunião, o deputado Glaycon Franco posicionou-se afirmando que, na condição de médico, já imaginava as colocações dos municípios presentes, mas se colocou à disposição para buscar, juntamente com a população e com a sociedade civil, sugestões inteligentes de forma a propor políticas públicas eficientes.

Ao final da audiência, o deputado Glaycon Franco e outros deputados da Comissão de Saúde apresentaram vários requerimentos em busca de providências mais efetivas por parte das instituições públicas, e se dispuseram a continuar o debate de forma permanente, ouvindo as reivindicações das instituições e da população.

A reunião contou com a presença, entre dezenas de outras autoridades, principalmente municipais, gestores de hospitais e representantes de consórcios municipais de saúde, do Assessor de Cooperação Intermunicipal em Saúde e Coordenador do Núcleo de Informação e Governança Regional da Secretaria de Estado de Saúde, Darlan Venâncio Thomaz; do Superintendente Regional de Saúde de Barbacena, Robson Campos Vidigal; do Diretor da Gerência Regional de Saúde de São João del-Rei, José Raimundo Dias; do secretário Municipal de Saúde de São João del-Rei, Rodrigo Chavez Penha; do secretário Municipal de Saúde de Conselheiro Lafaiete, Marcos Bernardes Prates; do secretário Municipal de Saúde de Congonhas, Rafael Geraldo Cordeiro; do secretário Municipal de Saúde e Programas Sociais de Barbacena, José Orleans da Costa; da representante do Presidente da Associação Mineira de Municípios, Juliana Diniz; prefeitos e diversos vereadores.

0 visualização0 comentário