• Comunicação Glaycon Franco

Deputado Glaycon defende preservação das águas

O deputado Glaycon Franco promoveu audiência pública, juntamente com os deputados da Comissão de Meio Ambiente e de Agropecuária e Agroindústria da ALMG, no dia 14 de março, tendo, como foco, o uso sustentável e racional da água.

O motivo é a realização, no Brasil (primeira vez no hemisfério sul), do Fórum Mundial da Água, que acontece no período de 19 a 23 de março, em sua 8ª edição.

Na fala inicial, o deputado reforçou o papel exercido por Minas, como caixa d’água do Brasil: “Embora seja um recurso natural renovável, está escasseando no planeta, tornando-se necessárias medidas para que nunca falte. Para se ter uma ideia, 12% da água doce do mundo está no Brasil e de 8 a 9% dos nossos rios e lagos estão em Minas Gerais. É inadmissível que, em pleno século XXI, o índice de qualidade da água venha caindo e 40% da água tratada no Brasil esteja sendo desperdiçada. Em nossa região, há duas vertentes: de um lado a bacia do rio Piranga que percorre várias cidades do Vale do Piranga; de outro, a bacia do São Francisco, onde um dos principais rios é o nosso Bananeiras. Temos que evoluir nesta questão”.

Segundo Glaycon Franco, o desperdício de água se dá em consequência de ligações clandestinas para abastecimento irregular, erros de medição e vazamentos no sistema de fornecimento. Ainda afirmou que o debate realizado visa contribuir para avanços nestas áreas e que tem pleiteado, junto a órgãos públicos, ações voltadas para proteção e ampliação da oferta de água em sua região.

Por fim, Glaycon abordou a necessidade de políticas para reutilização da água, como prevenção da escassez. Há regulamentação nas atividades industriais, que já vem praticando o reuso, mas não existe legislação, estadual ou nacional, sobre o reuso da água”, afirmou o deputado.

O representante do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), Marcelo da Fonseca, que também representou Germano Vieira, Secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), apontou que Minas Gerais vem enfrentando uma situação crítica com a redução do volume de chuvas no Sudeste brasileiro. Segundo ele, o Igam está desenvolvendo ações para contornar o problema, como elaboração de uma regulamentação sobre o uso da água. Já o analista ambiental da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Guilherme Oliveira, defendeu a integração das ações desenvolvidas hoje no Estado. O gerente de Meio Ambiente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Wagner Costa, destacou que as indústrias têm contribuído com a adoção do uso racional da água. Segundo ele, a maior parte dos empresários hoje busca implementar processos e tecnologias de uso racional e de reutilização da água.

Além das autoridades mencionadas e dos deputados das comissões, estiveram participando como convidados, compondo a mesa: Rodrigo Carvalho Fernandes, superintendente de Desenvolvimento Social e Ambiental da Seapa; Geraldo Magela, analista institucional do Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais; Nelson Cunha Guimarães, superintendente de Meio Ambiente da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa); Rafael Augusto Fiorini, Gerente de Meio Ambiente e Renato Júnior Constâncio, Engenheiro de Planejamento Energético da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e Rogério Pena Siqueira, Presidente da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes). Estiveram presentes, também, ambientalistas e outras autoridades ligadas ao tema que compuseram a plateia.


Deputados e convidados durante a Audiência Pública


Manifestações a favor da preservação das águas


0 visualização0 comentário